20 perguntas com: Piuzinho, "o bravo tem nome" – Free Fire Esports

20 perguntas com” é uma série de matérias que serão publicadas no site da Free Fire Pro League. O objetivo das entrevistas será aproximar cada vez mais o leitor dos seus jogadores e criadores de conteúdo favoritos. Para dar o pontapé inicial, convidamos o jogador da paiN Gaming, Piuzinho, que respondeu algumas das curiosidades com relação a sua vida pessoal e profissional.

imagem20-03-2022-23-03-02Piuzinho é um dos maiores nomes da paiN Gaming (Foto: Reprodução)

Confira o 20 perguntas com: Piuzinho, “o bravo tem nome”.

Nome completo?– Ricardo Henrique Ferreira Baia.

Idade?– 23 anos.

Cidade natal?– Belo Horizonte.

Pai e mãe?– Frederico e Gilma.

Já fez faculdade ou teve vontade de fazer em algum momento?– Eu nunca fiz faculdade, mas tinha vontade de cursar Educação Física.

Como conheceu o Free Fire?– Crusher e Chin, eles são meus amigos e foi por causa da indicação deles que eu comecei a jogar.

Origem do nickname “Piuzinho”?– Porque eu sou baixinho? (risos) O pior é que nem eu sei dizer ao certo, eu não lembro.

Já acompanhava o cenário de games/esports antes?– Não, eu vim conhecer todo esse mundo graças ao Free Fire, antes eu só tinha tempo para vencer coxinha (risos).

Quando você percebeu que estava ficando conhecido?– Quando eu vi que meu canal estava chegando em um milhão de inscritos.

Pensou que chegaria tão longe por causa do Free Fire?– Nunca.

Qual a opinião de sua família com relação a tudo isso?– Eu morava sozinho quando comecei e não tinha muito contato com a minha família. O início foi apenas eu e Deus, mas hoje eles (meus familiares) entendem a minha profissão.

Sobre a rotina de um criador de conteúdo, é cansativa?– Sim, bem cansativa às vezes, principalmente depois de muito tempo seguido a mesma rotina. Eu, por exemplo, só quero entrar de férias para me recompor e voltar com tudo!

https://www.youtube.com/watch?v=TnzvqBduJa8

O que você tem a dizer sobre o público enorme que está engajado com o Free Fire?– Eu acho muito incrível, para onde eu vou, tem alguém que me reconhece, pode ser em São Paulo ou até mesmo no Interior do país.

Inspirações?– Eu me sinto inspirado por pessoas como eu, que não desistem de correr atrás dos seus sonhos, mesmo que seja criticado por eles. Sempre que eu vejo alguém lutando contra tudo e todos atrás do que realmente o faz feliz, isso me inspira.

Sonhos?– Fora do Free Fire eu não almejo muita coisa, mas com relação ao jogo, o meu sonho é vestir a camisa do meu time (paiN Gaming) e representar o país em algum campeonato internacional.

Pensa em investir no profissional?– Eu admiro quem joga profissionalmente, mas eu prefiro focar na parte das transmissões mesmo.

Já pensou em desistir de tudo em algum momento?– Já sim, tive algumas recaídas por causa de problemas pessoais, mas aí eu vejo todo o carinho que os meus fãs têm por mim e isso sempre me dá forças para continuar. Eu falo um pouco sobre isso na minha última música, “Poesia Free Fire” (confira abaixo).

Momento mais feliz na sua carreira?– Foi quando eu comecei a viver do meu sonho e fazer as primeiras compras de casa com o dinheiro desse sonho.

Momento mais triste?– Foi quando precisei me distanciar dos meus amigos e da minha cidade para viver o meu sonho.

Quer deixar uma mensagem para o seus fãs?– Quero sim, agradecer muito todo apoio e força que eles me dão e é isso aí, vamos dominar o mundo todo, vem comigo que o bravo tem nome: “Piuzinho”.

Siga o Piuzinho nas redes sociais: Facebook, Instagram, YouTube e Nimo.

Fonte: www.ffesportsbr.com.br/2019/10/16/20-perguntas-com-piuzinho-o-bravo-tem-nome