Com Linux e AMD, supercomputador Frontier supera 1 exaflop de desempenho – Tecnoblog

A lista Top500 dos supercomputadores mais rápidos do mundo acaba de chegar à 59ª edição. A liderança ficou para o Frontier, que tem mais de 9.400 CPUs AMD e sistema operacional Linux. O detalhe mais notável é que a máquina conseguiu superar a impressionante marca de 1,1 exaflop por segundo no desempenho.

    Supercomputador Frontier (imagem: divulgação/ORNL)

    Em outras palavras, o Frontier é o primeiro supercomputador verdadeiramente exascale do mundo. Esse título, por assim dizer, é dado às máquinas que conseguem alcançar ou ultrapassar 10¹⁸ operações de ponto flutuante por segundo.

    Isso equivale a 1 quintilhão, ou seja, a 1.000.000.000.000.000.000 de operações por segundo!

    O termo “verdadeiramente” foi usado acima porque o supercomputador Fugaku já havia atingido a marca de 1 exaflop, mas só o fez por dois segundos. Já o Frontier foi o primeiro a marcar 1,102 exaflop no teste de benchmark HPL (High-Performance Linpack).

    Com isso, o Fugaku, que vinha liderando o Top500, caiu para a segunda posição do ranking. O seu desempenho é menor, mas ainda bastante impressionante: 442 petaflops por segundo — 1 petaflop corresponde a 1 quatrilhão de operações de ponto flutuante por segundo.

    Supercomputador Frontier (imagem: divulgação/ORNL)

    A lista dos dez primeiros supercomputadores da atual edição do Top500 é esta:

    Supercomputador Petaflops País
    1. Frontier 1.102 Estados Unidos
    2. Fugaku 442 Japão
    3. Lumi 152 Finlândia
    4. Summit 149 Estados Unidos
    5. Sierra 95 Estados Unidos
    6. Sunway TaihuLight 93 China
    7. Perlmutter 71 Estados Unidos
    8. Selene 63 Estados Unidos
    9. Tianhe-2A 61 China
    10. Adastra 46 França

    A configuração do Frontier

    Para alcançar tamanho feito, é óbvio que o Oak Ridge National Laboratory (ORNL), entidade responsável pelo projeto, teve que investir em hardware. E bota hardware nisso!

    O Frontier é formado por 74 torres HPE Cray EX que, juntas, abrigam 9.408 nós. Cada nó é composto por uma CPU AMD Epyc de terceira geração e quatro aceleradores gráficos AMD Instinct MI250X. São mais de 9.400 CPUs e mais de 37.000 GPUs, portanto.

    As especificações incluem ainda 512 GB de memória DDR4 por nó, sistema de armazenamento com cerca de 700 petabytes e taxa de gravação de até 5 terabytes por segundo, além de 145 quilômetros de cabos de rede. A eficiência energética é de 52,23 gigaflops por watt.

    Para orquestrar tudo isso, o Frontier conta com um sistema operacional baseado em Linux. Mas isso não é exatamente uma surpresa. Praticamente todos os atuais supercomputadores Top500 rodam Linux. A relativa facilidade de otimização do sistema para tarefas de alto desempenho está entre as explicações para isso.

    Não vai terminar por aí. O Frontier deve ser otimizado nos próximos meses pelo ORNL, tanto no hardware quanto no software, para atingir a marca de 2 exaflops. O supercomputador será operado pelo Departamento de Energia dos Estados Unidos.

    Fonte: tecnoblog.net/noticias/2022/06/02/com-linux-e-amd-supercomputador-frontier-supera-1-exaflop-de-desempenho