iFood e Voltz lançam moto elétrica exclusiva para entregadores de São Paulo – Tecnoblog

O iFood anunciou nesta terça-feira (31) sua primeira moto elétrica, batizada de EVS Work iFood. O veículo foi desenhado para os entregadores brasileiros, surgindo como uma opção mais econômica e menos poluente. O projeto foi desenvolvido em conjunto com a startup Voltz, que viabilizou os testes com a moto e as estações de troca de bateria. Com a parceria, entregadores pagam R$ 9.990 pelo veículo.

    Moto elétrica EVS Work iFood (Imagem: Divulgação/ iFood)

    Conforme o iFood revelou em comunicado, além do valor diferenciado, os entregadores do app de delivery também terão acesso a uma assinatura especial do sistema de troca de baterias. Para facilitar a compra e manutenção do veículo, o banco BV e a Ipiranga também entraram no projeto.

    A parceria entre o iFood e o banco BV resultou em uma linha de financiamento com condições diferenciadas para a aquisição das motos elétricas. A instituição financeira oferecerá um subsídio de R$ 2 mil para as trezentas primeiras motos financiadas, mediante à aprovação de crédito.

    Os postos Ipiranga da cidade de São Paulo vão distribuir o sistema de trocas de bateria das EVS Work iFood. O projeto está sendo implementado de forma piloto na capital paulista e, numa primeira fase, serão instaladas 100 estações de troca rápida de bateria em bairros como Lapa, República, Consolação, Pinheiros, Jardins, Paulista, Aclimação, Moema, Itaim Bibi, e outros.

    Conforme explicou o iFood, o sistema de trocas de bateria opera sob o modelo “battery as a service”. Ou seja, é um serviço, e o dono da moto elétrica não possuirá a bateria, mas apenas a trocaria em qualquer um dos postos Ipiranga com estações para isso. Atualmente, já existem 33 locais de troca em 19 postos em São Paulo capital.

    Com combustível caro, moto elétrica é mais econômica

    Combustível (Imagem: Pedro França/Agência Senado)

    Segundo testes realizados pelo iFood na cidade de São Paulo, a substituição de motos movidas à combustível por outras movidas à eletricidade gerar uma redução real de custo para o consumidor. Por meio de trinta entregadores, a empresa registrou que um percurso de 3.000 km por mês, por exemplo, representa cerca de R$ 610 em custos com combustível, considerando o preço do litro da gasolina a R$ 7,10.

    Por outro lado, o custo da moto elétrica se torna “um valor fixo”, de acordo com o iFood. Com a assinatura do plano de troca de baterias, a empresa estima uma economia mensal de cerca de 60% em relação a uma moto movida a combustível.

    As opções de assinatura começam em R$ 129, com limite de quilometragem mensal de 2.000 km, e vão até R$ 319 com trocas e quilometragem ilimitadas. O entregador ainda pode optar por manter uma bateria própria e recarregável em qualquer tomada. A autonomia da EVS Work iFood, que conta com duas baterias, é de 100 a 180 km.

    Além disso, a companhia também afirmou que o custo de manutenção do veículo cai, em média, 70%. Afinal, não há óleo, filtro, vela e outros componentes que geram gastos para o entregador.

    Com a iniciativa, o iFood espera que 50% das entregas do iFood sejam realizadas por veículos que não utilizam combustíveis fósseis até 2025.

    Dados técnicos da EVS WORK iFood:

      Fonte: tecnoblog.net/noticias/2022/05/31/ifood-e-voltz-lancam-moto-eletrica-exclusiva-para-entregadores-de-sao-paulo