Oi lança Fibra X com cabo óptico transparente para melhorar internet em casa – Tecnoblog

#tb-achados-cont { background: var(–bg-achados); border-radius: 5px; display: flex; justify-content: space-between; padding: 0 .25rem 0 0; overflow: hidden; margin-block-start: 0; margin-top: 0; margin-block-end: 1rem; max-height: 35px; width: 100%; } #tb-achados-cont .hide-desktop { display: none; } #tb-achados-cont .tb-achados-logo-cont{ flex: 0 1 160px; display: flex; align-items: center; position: relative; } [dark-mode=”no”] #tb-achados-cont .logo-achados, #tb-achados-cont .logo-achados { display: block; width: 100%; height: 120%; position: absolute; background: url( https://tecnoblog.net/wp-content/themes/tb/img/achados/logo-light-mode.svg) no-repeat left; } [dark-mode=”yes”] #tb-achados-cont .logo-achados { background: url( https://tecnoblog.net/wp-content/themes/tb/img/achados/logo-dark-mode.svg) no-repeat left; } @media (prefers-color-scheme: dark) { body:not(.amp-dark-mode) #tb-achados-cont .logo-achados{ background: url( https://tecnoblog.net/wp-content/themes/tb/img/achados/logo-light-mode.svg) no-repeat left; } body.amp-dark-mode #tb-achados-cont .logo-achados, html:not([amp], [dark-mode=”no”]) body #tb-achados-cont .logo-achados { background: url( https://tecnoblog.net/wp-content/themes/tb/img/achados/logo-dark-mode.svg) no-repeat left; } } #tb-achados-cont .tb-achados-logo-cont img { height: 100%; object-fit: contain; } #tb-achados-cont .tb-achados-info p { font-size: 14px; letter-spacing: .2px; margin: -2px 0 0 0; } #tb-achados-cont a, #tb-achados-cont .tb-achados-info p { color: var(–achados-link); } #tb-achados-cont a { text-decoration: none; } #tb-achados-cont p span { font-weight: bold; text-decoration: underline; } .tb-achados-info{ flex: 1; margin-left: 2rem; justify-content: flex-end; } .tb-achados-info, .tb-achados-btn { display: flex; align-items: center; } #tb-achados-cont .btn-tb { padding: .25rem .5rem; margin: .25rem 0 .25rem .5rem; border-radius: 5px; display: flex; align-items: center; font-size: 13px; transition: .2s all ease; color: white; border: 0; } #tb-achados-cont .btn-tb:hover { color: white; } .btn-tb span { margin-left: .5rem; } .btn-tb img { width: 16px; max-height: 16px; height: 16px; object-fit: contain; } .btn-achados-wpp { background: #00BC10; } .btn-achados-wpp:hover { background: #00A10E; } .btn-achados-telegram { background: #0088D6; } .btn-achados-telegram:hover { background: #0078BD; } .tb-money-bag { display: inline-block; width: 1rem; height: 1rem; content: url(“data:image/svg+xml;base64,PHN2ZyB4bWxucz0iaHR0cDovL3d3dy53My5vcmcvMjAwMC9zdmciIHZpZXdCb3g9IjAgMCAzNiAzNiI+PHBhdGggZmlsbD0iI0ZERDg4OCIgZD0iTTMxLjg5OCAyMy45MzhDMzEuMyAxNy4zMiAyOCAxNCAyOCAxNGwtNi04aC04bC02IDhzLTEuNDE5IDEuNDMzLTIuNTY3IDQuMjc1QzMuNDQ0IDE4LjkzNSAyIDIwLjc4OSAyIDIzYzAgMS40NDguNjI1IDIuNzQyIDEuNjA5IDMuNjU1QzMuMjMzIDI3LjM1NyAzIDI4LjE0NyAzIDI5YzAgMS45NTggMS4xMzYgMy42MzYgMi43NzUgNC40NTZDNy4wNTggMzUuMzc4IDguNzcyIDM2IDEwIDM2aDE2YzEuMzc5IDAgMy4zNzMtLjc3OSA0LjY3OC0zLjMxQzMyLjYwOSAzMS45OTkgMzQgMzAuMTcgMzQgMjhjMC0xLjY3OC0uODM0LTMuMTU0LTIuMTAyLTQuMDYyek0xOCA2Yy41NSAwIDEuMDU4LS4xNTggMS41LS40MTYuNDQzLjI1OC45NTEuNDE2IDEuNS40MTYgMS42NTcgMCA0LTIuMzQ0IDQtNCAwIDAgMC0yLTItMi0uNzg4IDAtMSAxLTIgMXMtMS0xLTMtMS0yIDEtMyAxLTEuMjExLTEtMi0xYy0yIDAtMiAyLTIgMiAwIDEuNjU2IDIuMzQ0IDQgNCA0IC41NDkgMCAxLjA1Ny0uMTU4IDEuNS0uNDE2LjQ0My4yNTguOTUxLjQxNiAxLjUuNDE2eiIvPjxwYXRoIGZpbGw9IiNCRjY5NTIiIGQ9Ik0yNCA2YzAgLjU1Mi0uNDQ3IDEtMSAxSDEzYy0uNTUyIDAtMS0uNDQ4LTEtMXMuNDQ4LTEgMS0xaDEwYy41NTMgMCAxIC40NDggMSAxeiIvPjxwYXRoIGZpbGw9IiM2Nzc1N0YiIGQ9Ik0yMy45MDEgMjQuNTQyYzAtNC40NzctOC41ODEtNC4xODUtOC41ODEtNi44ODYgMC0xLjMwOCAxLjMwMS0xLjk0NyAyLjgxMS0xLjk0NyAyLjUzOCAwIDIuOTkgMS41NjkgNC4xMzkgMS41NjkuODEzIDAgMS4yMDUtLjQ5MyAxLjIwNS0xLjA0NiAwLTEuMjg0LTIuMDI0LTIuMjU2LTMuOTY1LTIuNTkyVjEyLjRjMC0uNzczLS42NS0xLjQtMS40NTQtMS40LS44MDUgMC0xLjQ1Ni42MjctMS40NTYgMS40djEuMjgzYy0yLjExNi40NjMtMy45MzcgMS44NzUtMy45MzcgNC4xNzYgMCA0LjI5OSA4LjU3OSA0LjEyNSA4LjU3OSA3LjE0NSAwIDEuMDQ3LTEuMTc4IDIuMDkzLTMuMTExIDIuMDkzLTIuOTAxIDAtMy44NjctMS44ODktNS4wNDUtMS44ODktLjU3NCAwLTEuMDg3LjQ2NC0xLjA4NyAxLjE2NCAwIDEuMTEzIDEuOTM4IDIuNDUxIDQuNjAzIDIuODI0bC0uMDAxLjAxdjEuMzk4YzAgLjc3Mi42NTIgMS40IDEuNDU2IDEuNC44MDQgMCAxLjQ1NS0uNjI4IDEuNDU1LTEuNHYtMS4zOThjMC0uMDE3LS4wMDgtLjAzLS4wMDktLjA0NSAyLjM5OC0uNDMgNC4zOTgtMS45MzIgNC4zOTgtNC42MTl6Ii8+PC9zdmc+”); vertical-align: -0.125rem; } /* AMP */ .amp-wp-article-content #tb-achados-cont{ max-height: none; } @media only screen and (max-width: 1024px) { [dark-mode=”no”] #tb-achados-cont .logo-achados, #tb-achados-cont .logo-achados{ height: 130%; } #tb-achados-cont .hide-desktop { display: block; } #tb-achados-cont .hide-mobile { display: none !important; } #tb-achados-cont { max-height: 47px; margin-block-start: 15px; padding: .25rem .25rem .25rem 0; } #tb-achados-cont .tb-achados-logo-cont{ flex: 0 1 170px; } #tb-achados-cont .tb-achados-info { margin-left: 0; } #tb-achados-cont .btn-tb { margin: 0 0 0 .25rem; padding: .4rem; width: 30px; height: 30px; box-sizing: border-box; } #tb-achados-cont .btn-tb > img { max-height: 20px; max-width: 20px; margin: 0; } #tb-achados-cont .tb-achados-info p{ line-height: 1.2; margin: auto 0; text-align: right; } #tb-achados-cont .tb-achados-logo-cont img { width: 70px; margin: 0; } #tb-achados-cont .tb-achados-logo-cont amp-img { width: 80px; } .btn-tb img{ width: 20px; height: 20px; } } @media only screen and (max-width: 767px) { #tb-achados-cont{ padding: .2rem .5rem .2rem 0; margin: 1.65rem -15px !important; width: 100vw; border-radius: 0; box-sizing: border-box; } #tb-achados-cont .tb-achados-info p { font-size: 13px; margin-left: -15px; } #tb-achados-cont .btn-tb { margin-left: .5rem; } #tb-achados-cont .btn-tb > img { max-width: 25px; max-height: 25px; } .btn-tb img { width: 25px; height: 25px; } [dark-mode=”no”] #tb-achados-cont .logo-achados, #tb-achados-cont .logo-achados { width: 100%; height: 120%; background: url( https://tecnoblog.net/wp-content/themes/tb/img/achados/logo-light-mode-mobile.svg) no-repeat left; } .amp-dark-mode #tb-achados-cont .logo-achados, [dark-mode=”yes”] #tb-achados-cont .logo-achados { background: url( https://tecnoblog.net/wp-content/themes/tb/img/achados/logo-dark-mode-mobile.svg) no-repeat left; } @media (prefers-color-scheme: dark) { #tb-achados-cont .logo-achados { background: url( https://tecnoblog.net/wp-content/themes/tb/img/achados/logo-dark-mode-mobile.svg) no-repeat left; } } }

As melhores ofertas, sem rabo preso

WhatsApp Telegram

As conexões de banda larga estão cada vez mais velozes, mas boa parte dos megabits contratados acabam desperdiçados devido ao Wi-Fi pouco eficiente ou com sinal ruim em determinados cômodos. A Oi quer resolver esse problema de uma forma elegante e apresentou o Oi Fibra X, que utiliza fibra óptica transparente e flexível para espalhar pontos de acesso Gigabit pela casa.

    Oi Fibra (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

    A tecnologia é batizada de FTTR, sigla para Fiber-to-the-Room, ou “Fibra até o cômodo”. A solução da Oi foi desenvolvida pela Huawei: um cabo óptico sai do modem principal e interliga mais dois equipamentos, que emitem sinal Wi-Fi 6 e permite a conexão de dispositivos via cabo Ethernet.

    Oi Fibra X: criaram o ponto adicional de fibra óptica

    A Oi comercializará o FTTR como um serviço: no piloto iniciado em Blumenau (SC), usuários da Oi Fibra de qualquer velocidade podem contratar o Oi Fibra X com três pontos (sendo um principal e dois adicionais) pelo preço mensal de R$ 59,90. A solução da Huawei permite adicionar até 16 pontos de acesso.

    Os pontos extras emitem sinal Wi-Fi 6 também funcionam como mesh, permitindo baixo tempo na transição de um dispositivo para outra estação (cerca de 20 milissegundos). Como tudo fica conectado por fibra óptica, é possível conseguir velocidades gigabit mesmo longe do modem principal.

    Maquete de uma residência conectada com a tecnologia FTTR (Imagem: Divulgação / Oi)

    O Oi Fibra X também possui redundância: caso exista algum rompimento na fibra entre um ponto de acesso até o modem principal, a internet continua funcionando via mesh, de forma automática e sem exigir configurações do usuário. A operadora irá monitorar essas instalações para detectar falhas e enviar um técnico para o conserto.

    Fibra óptica… transparente?

    O grande detalhe é o uso de um cabo de fibra óptica transparente e flexível. De acordo com a Oi, esse tipo de cabeamento é semelhante a uma fita adesiva e pode resolver problemas de obstrução na casa do cliente, sem interferir na arquitetura ou decoração do ambiente.

    Esse tipo de cabo óptico não deve interferir na decoração ou exigir obras para passagem, e pode ser colocado em rodapés ou portas. A operadora trabalhará com cabos pré-conectorizados com 50 metros de distância que podem ser emendados em outro de igual tamanho, alcançando até 100 metros do roteador principal.

    Conversei com Ricardo Drumond Andrade, diretor de Tecnologia e Operações da Oi. Ele explicou que a operadora também estuda o uso dos cabos flexíveis e transparentes nas instalações convencionais da Oi Fibra, especialmente em prédios onde há obstrução para passagem da fibra convencional.

    No entanto, essa a solução só poderá ser usada em ambientes internos, e do poste até o prédio permaneceria a fibra convencional. Isso acontece porque o cabo transparente não tem proteção contra raios ultravioletas, portanto, não pode ficar exposto à luz do sol.

    Será que vale a pena?

    A solução do Oi Fibra X é muito elegante, mas está longe de ser acessível. Pagar R$ 60 por mês para ter Wi-Fi de qualidade na casa toda não é barato. Existem alternativas menos caras para melhorar a conexão na sua casa.

    A primeira delas é a mais óbvia: usar um roteador Wi-Fi mesh. Por menos de R$ 1.000 é possível comprar um kit com três pontos de acesso, ótimos para expandir o sinal de internet e acabam resolvendo o problema da maior parte das pessoas. No entanto, a latência fica maior que no cabo, e a velocidade de acesso não passa nem perto de 1 Gb/s.

    Existe outra solução mais barata, mas que dá trabalho: passar um cabo de rede Ethernet do local onde se encontra o roteador principal até outro cômodo da residência, e acoplar ali mais um ponto de acesso.

    É o que eu fiz aqui em casa, funciona bem e é possível atingir velocidades maiores que 1 Gb/s caso sejam utilizados cabos de rede CAT6. No entanto, essa solução dá trabalho e requer tubulação disponível para que o cabeamento não interfira na estética da sua casa.

    Dá pra dizer que o Oi Fibra X é uma solução incrível, com tecnologia de ponta e deve atrair usuários exigentes. Seria ideal que a Oi incluísse o serviço para quem comprar o plano de 1 Gb/s, que já é bem caro e tem mensalidade de R$ 279,90.

    Fonte: tecnoblog.net/noticias/2022/06/15/oi-lanca-fibra-x-com-cabo-optico-transparente-para-melhorar-internet-em-casa