Acredite: o PCIe 7.0 está vindo aí e promete velocidade de 512 GB/s – Tecnoblog

#tb-achados-cont { background: var(–bg-achados); border-radius: 5px; display: flex; justify-content: space-between; padding: 0 .25rem 0 0; overflow: hidden; margin-block-start: 0; margin-top: 0; margin-block-end: 1rem; max-height: 35px; width: 100%; } #tb-achados-cont .hide-desktop { display: none; } #tb-achados-cont .tb-achados-logo-cont{ flex: 0 1 160px; display: flex; align-items: center; position: relative; } [dark-mode=”no”] #tb-achados-cont .logo-achados, #tb-achados-cont .logo-achados { display: block; width: 100%; height: 120%; position: absolute; background: url( https://tecnoblog.net/wp-content/themes/tb/img/achados/logo-light-mode.svg) no-repeat left; } [dark-mode=”yes”] #tb-achados-cont .logo-achados { background: url( https://tecnoblog.net/wp-content/themes/tb/img/achados/logo-dark-mode.svg) no-repeat left; } @media (prefers-color-scheme: dark) { body:not(.amp-dark-mode) #tb-achados-cont .logo-achados{ background: url( https://tecnoblog.net/wp-content/themes/tb/img/achados/logo-light-mode.svg) no-repeat left; } body.amp-dark-mode #tb-achados-cont .logo-achados, html:not([amp], [dark-mode=”no”]) body #tb-achados-cont .logo-achados { background: url( https://tecnoblog.net/wp-content/themes/tb/img/achados/logo-dark-mode.svg) no-repeat left; } } #tb-achados-cont .tb-achados-logo-cont img { height: 100%; object-fit: contain; } #tb-achados-cont .tb-achados-info p { font-size: 14px; letter-spacing: .2px; margin: -2px 0 0 0; } #tb-achados-cont a, #tb-achados-cont .tb-achados-info p { color: var(–achados-link); } #tb-achados-cont a { text-decoration: none; } #tb-achados-cont p span { font-weight: bold; text-decoration: underline; } .tb-achados-info{ flex: 1; margin-left: 2rem; justify-content: flex-end; } .tb-achados-info, .tb-achados-btn { display: flex; align-items: center; } #tb-achados-cont .btn-tb { padding: .25rem .5rem; margin: .25rem 0 .25rem .5rem; border-radius: 5px; display: flex; align-items: center; font-size: 13px; transition: .2s all ease; color: white; border: 0; } #tb-achados-cont .btn-tb:hover { color: white; } .btn-tb span { margin-left: .5rem; } .btn-tb img { width: 16px; max-height: 16px; height: 16px; object-fit: contain; } .btn-achados-wpp { background: #00BC10; } .btn-achados-wpp:hover { background: #00A10E; } .btn-achados-telegram { background: #0088D6; } .btn-achados-telegram:hover { background: #0078BD; } .tb-money-bag { display: inline-block; width: 1rem; height: 1rem; content: url(“data:image/svg+xml;base64,PHN2ZyB4bWxucz0iaHR0cDovL3d3dy53My5vcmcvMjAwMC9zdmciIHZpZXdCb3g9IjAgMCAzNiAzNiI+PHBhdGggZmlsbD0iI0ZERDg4OCIgZD0iTTMxLjg5OCAyMy45MzhDMzEuMyAxNy4zMiAyOCAxNCAyOCAxNGwtNi04aC04bC02IDhzLTEuNDE5IDEuNDMzLTIuNTY3IDQuMjc1QzMuNDQ0IDE4LjkzNSAyIDIwLjc4OSAyIDIzYzAgMS40NDguNjI1IDIuNzQyIDEuNjA5IDMuNjU1QzMuMjMzIDI3LjM1NyAzIDI4LjE0NyAzIDI5YzAgMS45NTggMS4xMzYgMy42MzYgMi43NzUgNC40NTZDNy4wNTggMzUuMzc4IDguNzcyIDM2IDEwIDM2aDE2YzEuMzc5IDAgMy4zNzMtLjc3OSA0LjY3OC0zLjMxQzMyLjYwOSAzMS45OTkgMzQgMzAuMTcgMzQgMjhjMC0xLjY3OC0uODM0LTMuMTU0LTIuMTAyLTQuMDYyek0xOCA2Yy41NSAwIDEuMDU4LS4xNTggMS41LS40MTYuNDQzLjI1OC45NTEuNDE2IDEuNS40MTYgMS42NTcgMCA0LTIuMzQ0IDQtNCAwIDAgMC0yLTItMi0uNzg4IDAtMSAxLTIgMXMtMS0xLTMtMS0yIDEtMyAxLTEuMjExLTEtMi0xYy0yIDAtMiAyLTIgMiAwIDEuNjU2IDIuMzQ0IDQgNCA0IC41NDkgMCAxLjA1Ny0uMTU4IDEuNS0uNDE2LjQ0My4yNTguOTUxLjQxNiAxLjUuNDE2eiIvPjxwYXRoIGZpbGw9IiNCRjY5NTIiIGQ9Ik0yNCA2YzAgLjU1Mi0uNDQ3IDEtMSAxSDEzYy0uNTUyIDAtMS0uNDQ4LTEtMXMuNDQ4LTEgMS0xaDEwYy41NTMgMCAxIC40NDggMSAxeiIvPjxwYXRoIGZpbGw9IiM2Nzc1N0YiIGQ9Ik0yMy45MDEgMjQuNTQyYzAtNC40NzctOC41ODEtNC4xODUtOC41ODEtNi44ODYgMC0xLjMwOCAxLjMwMS0xLjk0NyAyLjgxMS0xLjk0NyAyLjUzOCAwIDIuOTkgMS41NjkgNC4xMzkgMS41NjkuODEzIDAgMS4yMDUtLjQ5MyAxLjIwNS0xLjA0NiAwLTEuMjg0LTIuMDI0LTIuMjU2LTMuOTY1LTIuNTkyVjEyLjRjMC0uNzczLS42NS0xLjQtMS40NTQtMS40LS44MDUgMC0xLjQ1Ni42MjctMS40NTYgMS40djEuMjgzYy0yLjExNi40NjMtMy45MzcgMS44NzUtMy45MzcgNC4xNzYgMCA0LjI5OSA4LjU3OSA0LjEyNSA4LjU3OSA3LjE0NSAwIDEuMDQ3LTEuMTc4IDIuMDkzLTMuMTExIDIuMDkzLTIuOTAxIDAtMy44NjctMS44ODktNS4wNDUtMS44ODktLjU3NCAwLTEuMDg3LjQ2NC0xLjA4NyAxLjE2NCAwIDEuMTEzIDEuOTM4IDIuNDUxIDQuNjAzIDIuODI0bC0uMDAxLjAxdjEuMzk4YzAgLjc3Mi42NTIgMS40IDEuNDU2IDEuNC44MDQgMCAxLjQ1NS0uNjI4IDEuNDU1LTEuNHYtMS4zOThjMC0uMDE3LS4wMDgtLjAzLS4wMDktLjA0NSAyLjM5OC0uNDMgNC4zOTgtMS45MzIgNC4zOTgtNC42MTl6Ii8+PC9zdmc+”); vertical-align: -0.125rem; } /* AMP */ .amp-wp-article-content #tb-achados-cont{ max-height: none; } @media only screen and (max-width: 1024px) { [dark-mode=”no”] #tb-achados-cont .logo-achados, #tb-achados-cont .logo-achados{ height: 130%; } #tb-achados-cont .hide-desktop { display: block; } #tb-achados-cont .hide-mobile { display: none !important; } #tb-achados-cont { max-height: 47px; margin-block-start: 15px; padding: .25rem .25rem .25rem 0; } #tb-achados-cont .tb-achados-logo-cont{ flex: 0 1 170px; } #tb-achados-cont .tb-achados-info { margin-left: 0; } #tb-achados-cont .btn-tb { margin: 0 0 0 .25rem; padding: .4rem; width: 30px; height: 30px; box-sizing: border-box; } #tb-achados-cont .btn-tb > img { max-height: 20px; max-width: 20px; margin: 0; } #tb-achados-cont .tb-achados-info p{ line-height: 1.2; margin: auto 0; text-align: right; } #tb-achados-cont .tb-achados-logo-cont img { width: 70px; margin: 0; } #tb-achados-cont .tb-achados-logo-cont amp-img { width: 80px; } .btn-tb img{ width: 20px; height: 20px; } } @media only screen and (max-width: 767px) { #tb-achados-cont{ padding: .2rem .5rem .2rem 0; margin: 1.65rem -15px !important; width: 100vw; border-radius: 0; box-sizing: border-box; } #tb-achados-cont .tb-achados-info p { font-size: 13px; margin-left: -15px; } #tb-achados-cont .btn-tb { margin-left: .5rem; } #tb-achados-cont .btn-tb > img { max-width: 25px; max-height: 25px; } .btn-tb img { width: 25px; height: 25px; } [dark-mode=”no”] #tb-achados-cont .logo-achados, #tb-achados-cont .logo-achados { width: 100%; height: 120%; background: url( https://tecnoblog.net/wp-content/themes/tb/img/achados/logo-light-mode-mobile.svg) no-repeat left; } .amp-dark-mode #tb-achados-cont .logo-achados, [dark-mode=”yes”] #tb-achados-cont .logo-achados { background: url( https://tecnoblog.net/wp-content/themes/tb/img/achados/logo-dark-mode-mobile.svg) no-repeat left; } @media (prefers-color-scheme: dark) { #tb-achados-cont .logo-achados { background: url( https://tecnoblog.net/wp-content/themes/tb/img/achados/logo-dark-mode-mobile.svg) no-repeat left; } } }

As melhores ofertas, sem rabo preso

WhatsApp Telegram

A versão 5.0 começou a ser adotada pela indústria há pouco tempo, mas o consórcio PCI-SIG não espera: o PCI Express 7.0 (PCIe 7.0) vem aí. A nova versão da tecnologia repete a fórmula das anteriores, ou seja, dobra a taxa de transferência de dados em relação ao padrão antecessor. Aqui, a promessa é a de que a velocidade alcance 512 GB/s (gigabytes por segundo).

    Slots PCI Express em placa-mãe da Asus (imagem: divulgação/Asus)

    É uma novidade que nos pega de surpresa, afinal, o PCI Express 6.0 foi anunciado no início de 2022. Mas é preciso contextualizar. O anúncio de janeiro diz respeito à versão final das especificações do PCIe 6.0. Já o anúncio desta semana indica que o PCI-SIG, grupo que responde pela tecnologia, começou a trabalhar nas especificações do PCIe 7.0.

    O trabalho pode estar na fase inicial, mas já tem uma meta estabelecida: fazer a largura de banda chegar aos mencionados 512 GB/s. Isso em modo full duplex, ou seja, com dados sendo enviados e recebidos ao mesmo tempo.

    Como já ficou claro, a ideia é dobrar a taxa máxima em relação à versão anterior. Tem sido assim desde o PCIe 1.0, observe:

      512 GB/s é uma largura de banda impressionante. Note, porém, que essa taxa é esperada para uma conexão com 16 vias de transmissão (x16). Se considerarmos uma única via (x1), esse parâmetro fica em 32 GB/s (o que também é um número impressionante).

      Divulgada pelo PCI-SIG, a seguinte tabela dá uma noção mais clara sobre isso:

      Versão x1 x2 x4 x8 x16
      PCIe 1.0 (2,5 GT/s) 500 MB/s 1 GB/s 2 GB/s 4 GB/s 8 GB/s
      PCIe 2.0 (5 GT/s) 1 GB/s 2 GB/s 4 GB/s 8 GB/s 16 GB/s
      PCIe 3.0 (8 GT/s) 2 GB/s 4 GB/s 8 GB/s 16 GB/s 32 GB/s
      PCIe 4.0 (16 GT/s) 4 GB/s 8 GB/s 16 GB/s 32 GB/s 64 GB/s
      PCIe 5.0 (32 GT/s) 8 GB/s 16 GB/s 32 GB/s 64 GB/s 128 GB/s
      PCIe 6.0 (64 GT/s) 16 GB/s 32 GB/s 64 GB/s 128 GB/s 256 GB/s
      PCIe 7.0 (128 GT/s) 32 GB/s 64 GB/s 128 GB/s 256 GB/s 512 GB/s

      Muito rápido, mas como?

      Talvez você esteja se perguntando o que esse “GT/s” que aparece na tabela significa. Essa é uma abreviação de gigatransfers por segundo. Trata-se de uma medida complexa, mas que podemos interpretar como a taxa máxima de bits transferidos por segundo sem considerar a codificação destes.

      Via de regra, um gigatransfer corresponde a um bilhão de transferências de dados por segundo. A codificação transforma um conjunto de dados em um pacote maior para uniformizar a transmissão e ajudar na detecção de erros. Esse processo gera bits adicionais, o que faz a medição em gigatransfers ser considerada um parâmetro mais preciso.

      Tecnicidades à parte, o que nos importa é saber que o PCI Express 7.0 vai ser muito rápido, mesmo. Isso abre caminho para placas de vídeo e SSDs, por exemplo, com muito mais desempenho na comparação com o que é oferecido atualmente.

      A largura de banda do PCIe dobra a cada três anos, em média (imagem: divulgação/PCI-SIG)

      Para cumprir essa promessa, o PCI-SIG baseará a nova versão em um recurso que foi adotado no PCIe 6.0: o PAM4 (Pulse-Amplitude Modulation 4). Esse é um padrão que aprimora a transferência de dados ao usar quatro estados elétricos (em vez de dois, como nas versões anteriores) para modular o sinal.

      Tudo isso é interessante, mas será que não haverá aumento no consumo de energia? Al Yanes, presidente do PCI-SIG, dá a entender que não (pelo menos no que diz respeito ao PCIe 7.0 em si):

      Conforma a tecnologia PCIe continua a evoluir para atender à demanda por alta largura de banda, nossos grupos de trabalho se focam em parâmetros de canal e em alcançar e melhorar a eficiência energética.

      PCI Express 7.0: quando chega?

      Essa é uma versão pensada para o futuro. Um futuro relativamente próximo. O PCI-SIG prevê que a adoção do PCIe 7.0 começará em 2025. Mas, provavelmente, só a partir do ano seguinte é a que a tecnologia ganhará mais espaço.

      Não há pressa, de todo modo. Atualmente, a indústria está focada no PCIe 4.0 e, aos poucos, começa a dar atenção ao PCIe 5.0. E ainda temos o PCIe 6.0 no caminho até 2025.

      Fonte: tecnoblog.net/noticias/2022/06/22/acredite-o-pcie-7-0-esta-vindo-ai-e-promete-velocidade-de-512-gb-s